quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

BODAS SEM FIM

     Posso dizer que o encontrei. Sei que estou na trilha certa e algumas dicas de poetas e compositores me trazem reflexos daquilo que sinto e não sei explicar.
     Djavan, menciona: “O amor é como um raio galopando em desafio, abre fendas, cobre vales, revolta as águas dos rios”. Jorge Vercilo, por sua vez, diz: “Eu quero ver o invisível, prever o que está no ar, como previ meu futuro ao lhe ver passar”. Como se não bastassem esses trechos, descrevo na íntegra um lindo poema: “Amar assim", de Vitor Martins. Ele fala por mim para a comemoração dos seis meses de casamento.


AMAR ASSIM

Me emociona o seu carinho, início de redemoinho
E você vira minha dona
Uma gazela, uma amazona
Me cavalgando no cio
Transbordamento de rio
Uma Araguaia, um Tocantins
Eu sempre quis amar assim
Sem começo e sem fim...

Me emociona o seu carinho
Amor que vem da natureza
É agua fresca divina
Que escorre por entre os dedos
Molhando o peito e a camisa
Derramamento de vida
Uma Araguaia, um Tocantins
Eu sempre quis amar assim
Sem começo e sem fim.

Te amo, Carina, minha esposa!

Nenhum comentário:

Postar um comentário